Coluna do Desenvolvimento Ibiapabano Por Marcos Sampaio

O poder

 

Os autores americanos Karl Hess e David Morris escreveram em 1976 um livro intitulado “O poder da vizinhança”, no qual eles demonstram a importância de fortalecer a relação entre vizinhos e trabalhar na escala local. Eles lembram que a democracia é o governo dos indivíduos e grupos organizados e ativos. Aqueles não se engajam e não se unem ficam sem voz.

Perceba que o livro foi escrito há quase 40 anos, mas a mensagem continua totalmente atual. Apesar disso, muita gente ainda acha que as soluções virão de ações individuais ou de instâncias nacionais. Território sem coesão social, sem interação entre os diferentes segmentos, é um território a reboque, pois nunca terá força para construir e defender uma proposta de desenvolvimento baseada na sua especificidade.

A democracia é o governo das minorias organizadas sobre a maioria desarticulada. Não é a toa que alguns grupos que tem uma parcela pequena da população conseguem efetivar suas demandas. A boa notícia é que essa oportunidade está aberta a todos. 

O maior desafio desse processo é dar o primeiro passo. Muitos não sabem por onde começar. Uma alternativa interessante é iniciar com uma pesquisa sobre o que existe no território. Assim, é possível traçar um caminho, reconhecer as lideranças.

Um segundo passo é tentar reunir as pessoas para saber quais são os objetivos comuns e também identificar as competências já existentes no território. A etapa seguinte é ir atrás de parceiros que possam suprir o que falta na região. Por exemplo, identificou-se a necessidade de melhoria na gestão dos pequenos negócios da região, pode-se buscar ajudar para corrigir esse problema. Já se o problema for inovação, pode-se tentar parcerias com institutos e universidades. Se o problema for crédito, o caminho é conversar com bancos e cooperativas e assim por diante.

Outro passo importante é criar um mecanismo de comunicação, que vai ajudar a disseminar as informações e a manter o engajamento das pessoas. 

Aqueles que acreditam no desenvolvimento econômico local devem trabalhar para resgatar o papel da vizinhança. Para criar um ambiente favorável para o desenvolvimento do nosso território, é necessário conhecer quem está ao nosso lado para que possamos identificar os pontos comuns e amplificar nossas vozes. Só assim será possível gerar uma mudança definitiva e sustentável.

Continuar>>>>

Por Marcos Sampaio ( Arena de Ideias)