Confusão universitária: Motoristas x AUNI

Por Rárisson Ramon

Um costume muito comum entre os universitários era o de arrecadar o dinheiro da merenda do motorista. Um valor simbólico de R$1,00 real era cobrado toda segunda-feira para tal fim. Mas sempre havia aqueles que relutavam em contribuir. O tempo foi passando e surgiu a Associação dos Universitários de Ipu (AUNI). Depois de conversas e acordos decidiu-se que caberia a esta realizar o repasse para a dita merenda dos motoristas. O valor combinado era de R$100,00 reais semanais, conforme nos foi repassado pelo antigo Presidente Leomir Melo. Além do salário de motorista pago pela Prefeitura, os mesmos recebiam um aditivo de R$400,00 mensais por parte da AUNI, aditivo este, fruto das contribuições dos universitários.

Contudo, houve eleições para a escolha de novos representantes. A chapa que saiu vencedora foi a da agora Presidente Sheyla Sousa, acadêmica de Direito. Conforme anunciado, uma das propostas da nova gestão seria reduzir custos, entre eles diminuir o valor de R$100,00 para R$50,00 reais aos motoristas. 

Na hora de efetuar o repasse na tarde de segunda-feira (10), os motoristas Tarcisio e Goiano não gostaram da redução do valor e uma discussão foi iniciada. Houve momentos de revolta por parte de um dos motoristas que inclusive chegou a esmurrar um dos ônibus, devido a tamanha raiva, segundo nos foi repassado por uma fonte ao qual presenciou o momento.

A notícia espalhou-se entre os universitários que agora temem possíveis retaliações por parte dos motoristas. Espera-se que a nova Presidente Sheyla Sousa possa contornar essa situação resolvendo esse impasse de forma ordeira e dentro dos princípios da ética, moral e legalidade.