Caixa anuncia medidas para agilizar liberação de crédito rural em todo o País

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta quinta-feira (1°), medidas para agilizar o acesso ao crédito rural por meio de processos automatizados, simplificados e desburocratizados.

As ações estão alinhadas ao Plano Agro Mais, lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que tem foco na redução da burocracia e na eficiência dos processos de agronegócio do País.

As medidas do banco englobam a aprovação automática de até R$ 500 mil, nas próprias agências do banco, para projetos simplificados de custeio agrícola, por meio do produto Custeio Fácil Caixa, e a análise remota da área produtiva mediante imagem de satélite.

A partir de outubro, o banco também oferecerá aprovação automática na agência para custeio agrícola até R$ 1 milhão, para clientes com histórico de relacionamento com a Caixa. Para custeio pecuário, a aprovação automática será de até R$ 500 mil, também para clientes com relacionamento.

A Caixa também realiza a digitalização de todos os documentos do processo de crédito, desde a análise do pedido até a sua aprovação, e posterior fiscalização. Além de eliminar o uso de papéis, a ação permite acesso de forma digital ao dossiê de crédito em qualquer agência do País.

Crédito Rural Caixa

Em setembro de 2012, quando o primeiro contrato de crédito rural foi assinado na Agência Pompeu, na região centro-oeste de Minas, a Caixa disponibilizava, em projeto piloto, apenas linhas de financiamento de custeio e investimento para os produtores de milho, soja e pecuária de corte e leite, em 62 municípios de oito Estados brasileiros.

Hoje, quatro anos após o ingresso no setor, a Caixa oferece um amplo portfólio para os produtores rurais brasileiros, que podem obter recursos para financiar sua produção em mais de 1.700 agências do banco, distribuídas em 1.255 municípios. 

Em quatro anos, mais de R$ 17,6 bilhões foram concedidos para produtores individuais, cooperativas e agroindústrias, por meio de linhas de custeio, investimento e comercialização, com recursos obrigatórios de depósito à vista e linhas de funding do BNDES.

Somente em Custeio, a Caixa concedeu mais de R$ 13 bilhões voltados para as culturas de soja, milho, algodão, arroz, feijão, amendoim, mandioca, sorgo, girassol, trigo, entre outras. Na pecuária, o banco estatal financia a suinocultura, avicultura e bovinocultura de corte e leite.

Fonte: Caixa Econômica Federal