Cirurgia para reduzir bochechas vira moda

Afinar o rosto e promover uma harmonização facial. São esses dois pontos que levam cada vez mais pessoas a optar pela bichetomia, uma cirurgia para a redução das bochechas. O procedimento, muito procurado no mundo das celebridades, também virou moda em Goiânia, onde o número de interessados não para de crescer. Apesar de ser considerado simples, o procedimento é motivo de uma polêmica entre dentistas e médicos sobre quem pode realizá-lo.

O cirurgião-dentista Fábio Paes é um dos profissionais que se especializaram na cirurgia em Goiânia. Com 18 anos de experiência na área da odontologia, ele conta que fez dois cursos de aperfeiçoamento para começa a realizar a bichectomia. Ele afirma que a primeira vez que ouviu falar do assunto, pensou se tratar de uma brincadeira.

"Sempre trabalhei na área de odontologia estética. Um dia, há uns 3 anos, uma paciente minha que morava nos Estados Unidos perguntou seu eu conhecia bichectomia. Pensei que era alguma piada por causa do nome, que é engraçado. Mas depois fui pesquisar sobre isso e me especializei porque a demanda começou a crescer", disse.

Paes conta que os primeiros tratamentos na capital foram feitos por ele em sua clínica há um ano. Inicialmente, eram no máximo dois pacientes por mês. Agora, no mesmo período, ele chega a reduzir as maçãs do rosto de até 20 pessoas mensalmente.

Trâmite cirúrgico
A cirurgia, que também é indicada para quem, por algum motivo, sofre do problema morder a parte interna da bochecha, dura cerca de 30 minutos. Antes de passar por ela, a situação clínica do paciente é avaliada e é agendada uma série de exames clínicos e laboratoriais para saber se há alguma ressalva.

Durante a operação, é realizado um corte de aproximadamente 1 centímetro na parte interna da bochecha para a retirada de gordura, chamada Bola de Bichat - daí o nome do procedimento - que fica entre dois músculos. "Uma pessoa adulta tem cerca de 10 milímetros de gordura. Em geral, retiramos aproximadamente de 4 milímetros", explica Paes.

O pós-operatório se assemelha ao de uma extração de dente siso. Recomenda-se repouso de dois dias, além de medicação e dieta controladas. No começo, é preciso também evitar atividades físicas e exposição ao sol. O resultado final aparece após o inchaço, entre um e três meses. 

A cirurgia custa entre R$ 4 mil e R$ 7 mil dependendo da clínica escolhida e da quantidade de profissionais necessários. 

Riscos e polêmica
Como em qualquer cirurgia, a bichectomia possui alguns riscos e complicações. Em alguns casos, pode ocorrer hemorragia, hematomas e infecções. Por isso, a necessidade de seguir a risca as recomendações médicas. Já em virtude de imperícia, a técnica pode lesar algum nervo e provocar paralisia facial.

Existe uma discussão polêmica sobre qual profissional está apto a realizar o tratamento. A classe médica reivindica exclusividade, alegando se tratar de um "ato médico". Já os cirurgiões dentistas dizem que também podem fazê-lo tendo em vista que se relaciona com a região bucal do paciente.

Presidente da Comissão de Educação Continuada do Conselho Regional de Odontologia de Goiás (CRO-GO), o cirurgião-dentista Júlio César Gomes Bezerra afirma que "ninguém é mais apto" que um odontólogo para fazer a bichectomia.