Como no jogo que o Brasil perdeu para a Alemenha, continuamos a zelar

O Brasil, todos sabem?, não ganhou a copa de 2014. A seleção campeã é a Alemanha. Como no jogo que o Brasil perdeu para a Alemenha, continuamos a zelar, bramir, chorar por quem não estar em campo jogando. Aquela seleção que perdeu de 7 a 1, não tinha torcedores. Todos torciam por Neymar, a volta do craque recuperado, os anúncios no estádio expressava. Neymar, um único jogador, reserva em qualquer seleção brasileira campeã, maior e mais importante do que toda a seleção naquele momento. Os ares da copa ainda vibram e motiva os brasileiros fora dos estádios a pedir a volta da Dilma, a recuperação da presidenta, ela como uma craque, torcemos que ela reverta o placar. Mas o Estado brasileiro como a selação brasileira, vive do talento, às vezes das táticas desleais, sem uma filosofia de Jogo. Não há uma transmissão de um saber, somado, a uma prática deste saber que atravesse de uma geração para outra. A constituí a figura de Estado, que não é política, tampouco partidário, mas de uma sociedade civil organizada, similar a uma torcida de Futebol Organiza. Pronto, mas o Neymar não volta, esperemos pela próxima copa, como a política é em quatro em quatro anos formarmos uma nova seleção e uma nova legião de torcedores, ao mesmo tempo, que rezamos e não treinamos, para que surjam uns craque. Oh. E a filosofia de jogo, ou seja, o KNOW-HOW foi edificado? Chame o chaque que eles "Temem". Enfim, desejo que todos percebam que, o Estado brasileiro, precisa ser preservado. Que possamos criar uma escola de craques em política com a capacidade de entender, que a bola, como as leis é passada de forma dinâmica, com a finalidade de atender gol que equivalente ao bem-estar comum e coletivo. Com isso talvez, na próxima copa, na próxima eleições, torcemos não pelos craques do futebol ou da política, pela seleção, pelo Estado brasileiro.                                                                                                                  

Por: Prof. Pedro Fernandes