Felipe Wu é prata no tiro esportivo!

Os  olhos denunciam: ele não tem cara de brasileiro. Não é Silva – é Wu. Não calça chuteiras – porta pistolas. E está na história como o responsável por conquistar a primeira medalha do Brasil em uma Olimpíada em casa. Felipe Wu, paulista de 24 anos, explodiu justamente no ano olímpico para conquistar a prata na pistola de ar 10m e ser o primeiro brasileiro a ir ao pódio nos Jogos do Rio. O ouro ficou com Xuan Vinh Hoang, do Vietnã, absolutamente genial no último tiro. O bronze foi para Pei Wong, da China.

Será uma tentação dizer que Felipe Wu saiu do nada para alcançar a façanha olímpica - de fato, era um desconhecido até este ano. Mas ele não saiu do nada: saiu da garagem de casa. Treinava onde ficava a churrasqueira – porque preferia tiro a churrasco. Posicionava-se onde deveria haver um carro – porque preferia tiro a automóvel. Foi moldado na obstinação. Foi esculpido na insistência: sem patrocinador, sem mídia, sem assédio. Atirava porque atirar lhe fazia bem. Atirava porque algo lhe dizia para atirar – porque vai que um dia, de repente, vá saber, você seja medalhista olímpico.

- Estou muito feliz. Sentimento de dever cumprido. Tudo valeu a pena. E isso é o melhor: você saber que todo trabalho, toda abdicação, tudo valeu a pena. Agora é comemorar.

Felipe Wu, prata, tiro esportivo, pódio (Foto: Reprodução/SporTV)Felipe Wu divide o pódio com Xuan Vinh Hoang, do Vietnã, e Wei Pang, da China (Foto: Reprodução/SporTV)



A maluquice é que Felipe sequer podia treinar na distância certa. Eram só oito metros até a parede – ele tentava adaptar-se, imaginar que ali tinham dois metros a mais. E assim foi tocando: cada vez mais treinos, uma Olimpíada chegando, a faculdade de engenharia espacial trancada para poder praticar mais e mais e mais, a presença frequente em Mundiais, os títulos de duas etapas, a liderança do ranking mundial. 

Wu virou notícia: o atirador com cara de chinês, jeito de chinês, sangue de chinês... na terra do futebol. Seria dele a primeira medalha olímpica do Brasil nos Jogos do Rio? Do cara que só tem uma arma para treinar? Já no primeiro dia da Olimpíada? Seria possível?