O estouro da bolha imobiliária

Eu não sou economista, não conheço sobre finanças nem as tenho. Na minha singeleza sou um observador da historia.

 

Um dia, vi e ouvir o ex-ministro da fazenda Roberto Campos  falar que toda pessoa carece  conhecer um pouco de economia : Desde o chefe da nação a mais humilde dona de casa.

 

Outro dia, eu estava com uns amigos no "Haras Sanharol" tomando cerveja gelada e comento carneiro assado quando se ouviu um zum zum zum dando conta  da riqueza emergente de Várzea-Alegre. Haja cagar goma e contar vantagens com um mundo de nuvens, fantasias e ilusões. Qualquer  casa ou prédio da cidade era  vendida em leilão por meio milhão de reais. 

 

Sabendo que ninguém  prospera e triunfar em negocios com dinheiro dos outros reagi. Peguei um papel e uma caneta e escrevi os nomes de meia duzia de varzealegrenses  que há  60 anos  trabalham para  construir um patrimônio cimentado na decência, honradez e honestidade, e,  mandei  os presentes anotarem em baixo os nomes dos emergentes para depois de 10 anos  reavaliarem.

 

Pelo que se ver não será  necessário esperar esse tempo todo. A bolha imobiliária estoura em breve, já se tem noticias da devolução de 50% dos imoveis financiados  em São Paulo, o "Minha casa minha vida" é hoje o programa com maior inadimplência do país, e,  logo no incio do próximo ano quem batia no peito e dizia ganhei minha casa vai  ver  o seu bem ser tomado e negociado  com outro.


Essa é a situação do Brasil. Eu digo sempre : Pra frente é que as malas batem. Esperemos. Por Antonio Morais.